Jose Antonio Lourenço Jose Antonio Lourenço, Os verdadeiros adoradores

Os verdadeiros adoradores

Como adorar a Deus (3ª parte)

Os verdareiros adoradores são os únicos que Deus reconhece e dos quais Ele recebe adoração. São pessoas muito especiais!

Os verdadeiros adoradores de Deus são pessoas escolhidas e preparadas para adorar da forma certa, «em espírito», e com o conteúdo certo, «em verdade». São pessoas com características próprias:

Têm um desejo forte de Deus

Sal. 42:1-2, 84:1-5

Essas pessoas vão para o altar da adoração porque querem mais de Deus, sentem essa necessidade, têm «fome e sede de justiça». O tempo que passam com Deus, louvando e adorando, não é um sacrifício mas sim um prazer, um privilégio, uma bênção. Ninguém que tem sede faz sacrifício para beber água, ou que tem fome faz sacrifício para comer. Quem tem fome e sede de Deus, busca a Deus com prazer. O tempo que passamos com Deus no altar anda menos que o relógio.

Adorando a Deus estamos comendo e bebendo espiritualmente e sendo fortalecidos. Adorar é uma prática quase constante, com os seus tempos diários fortes e em local certo.

O verdadeiro adorador estabelece o seu altar de adoração

Todos os adoradores na bíblia tinham o seu altar estabelecido:

  • Noé tinha o seu altar estabelecido. (Gên 8:20) «E edificou Noé um altar ao SENHOR; e tomou de todo animal limpo e de toda ave limpa e ofereceu holocaustos sobre o altar.»

  • Abraão tinha o seu altar estabelecido, apesar de ser um nómada. (Gên 12:7) «E apareceu o SENHOR a Abrão e disse: À tua semente darei esta terra. E edificou ali um altar ao SENHOR, que lhe aparecera.»

  • Isaque tinha o seu altar estabelecido. (Gên 26:25) «Então, edificou ali um altar, e invocou o nome do SENHOR, e armou ali a sua tenda;…​»

  • Jacob, igualmente. (Gên 33:20) «E levantou ali um altar e chamou-lhe Deus, o Deus de Israel. »

  • Moisés tambem tinha o seu altar. (Êxo 17:15) « E Moisés edificou um altar e chamou o seu nome: O SENHOR é minha bandeira.»

O altar representa o local certo e normalmente a hora certa onde o adorador tem encontro marcado com Deus para O adorar.

É verdade que também adoramos na rua, no trabalho e até no autocarro, mas esta é uma adoração de segunda. É boa, é bíblica, é também em espírito e em verdade, mas é de segunda porque é superficial. A adoração de primeira presta-se no altar: prostrados, humilhados, meditando.

Todo o adorador verdadeiro que se preze, tem o seu altar estabelecido.

Jesus Cristo tinha o seu altar estabelecido. (Mat. 14:23, 26:36, Mar. 1:35)

Se tu ainda não tens um local certo e um tempo certo para estares com Deus, estás sendo muito prejudicado. É urgente que estabeleças o teu altar de adoração e o conservas vivo.

O verdadeiro adorador equipa-se com as condições para adorar

Adorar a Deus em espírito e em verdade é coisa séria demais para ser feito de qualquer maneira ou de ânimo leve. O adorador precisa preparar-se. David preparou-se para adorar. (2 Sam. 12:20) « Então, Davi se levantou da terra, e se lavou, e se ungiu, e mudou de vestes, e entrou na Casa do SENHOR, e adorou».

Para uma adoração agradável e eficiente precisamos equipar-nos com algumas coisas fundamentais: fé, santificação, humildade, reverência e amor, meditação e expectativa. Dada a importância destas condições para o adorador, precisamos dedicar-lhes alguma atenção:

O adorador precisa ter fé

(Heb. 11:6) Uma vez que Deus é espírito e se adora sem O vermos. Precisamos ter fé, «…​crer que ele existe e é galardoador dos que o buscam.» Precisamos crer nas Escrituras, nas promessas, no sacrifício de Cristo e na intercessão do Espírito Santo - elementos fundamentais para uma adoração eficaz. Sem fé a adoração fica uma ladainha. A fé dá consistência e valor à adoração.

O adorador precisa ter uma vida santificada

Heb. 12:14 Ninguém poderá chegar-se a Deus com os seus pecados. A Bíblia diz: «Se eu atender á iniquidade do meu coração, o Senhor não me ouvirá. (Isa. 59:1)

É por isso que «…​entramos no santuário pelo sangue de Jesus.» (Heb. 10:9) O sacrifício de Jesus no Calvário tem que estar presente na nossa adoração.

A santificação é uma batalha que o adorador tem que ganhar todos os dias. Pecado e adoração são incompatíveis. Sem santificação não existe adoração (1 Ped. 1:13-17).

O adorador precisa equipar-se com a humildade

Sal. 95:6

A rejeição do fariseu no templo foi por causa do seu orgulho (Luc. 18:11-12). A aceitação do publicano foi pela sua humildade. Deus é muito grande e nós somos muito pequeninos!

O rei Jeosafá chegou-se a Deus com humildade e Deus o atendeu (Cro. 20:18). Job adorou com humildade (Job. 1:20).

Somos convidados a adorar «…​prostrados…​ajoelhados diante do Senhor que nos criou» (Sal. 95:6). Deus resiste aos soberbos mas dá graça aos humildes (Tia. 4:6). Só um louco ou inconsciente faz peito perante o Senhor.

O adorador precisa ser reverente e amoroso

(Mat. 28:9) A adoração presta-se no lugar santíssimo. Este é um lugar de muito respeito. Nadab e Abiu morreram porque quiseram entrar com fogo estranho no lugar santíssimo. A bíblia manda entrar com ousadia. Isto não significa falta de respeito, frivolidade, leviandade, irreverência, mas significa coragem com temor, olhando para o sangue remidor.

A mulher do fluxo de sangue, apresentou-se a Jesus «…​temendo e tremendo…​» (Mar. 5:33).

Devemos expressar o nosso amor a Deus na adoração. (Mat. 28:9): Estas mulheres adoraram com amor. (Luc. 7:38) Deus faz sentir o seu amor aos seus adoradores, e nós devemos manifestar o nosso amor ao nosso Pai celestial. O termo Pai, implica amor.

O verdadeiro adorador promove a adoração meditando

Sal. 103

A prática da meditação aos pés do Senhor é importante para a adoração. Adorar não é só falar. Não é falar sem sentir. A meditação dá valor ás palavras, traz á memória o que Deus é e o que tem feito por nós! Requer tempo. Com pressa não se medita e dificilmente se adora.

A meditação junta o passado com o presente e prevê o futuro. A meditação torna a adoração alegre (Sal. 34:24) e dá-lhe conteúdo. (Sal. 19:14)

A adoração sem meditação é fraca, rotineira e até fastidiosa. A meditação é o condimento da adoração. Nós somos muito esquecidos - a meditação traz á memória o que estava esquecido (Sal. 103:2) e ressuscita os louvores ao Senhor.

O verdadeiro adorador é uma pessoa muito valiosa para Deus! O seu desejo forte de Deus leva-o a colocar outras coisas em segundo lugar e a separar tempo para adorar. Tem o seu altar estabelecido com lugar certo e hora certa. O altar é o lugar mais importante e precioso do adorador. É impossível viver sem altar. A fé, a santidade, a humildade, a reverência e a meditação tornam a adoração um ofício sacerdotal da maior relevância.

Esforcemo-nos todos nós para sermos verdadeiros adoradores diariamente.

Publicado em 2017-02-20

Para Trás

Para Trás