Jose Antonio Lourenço Jose Antonio Lourenço, Renovação espiritual do crente

Renovação espiritual do crente

A nossa vida espiritual precisa ser renovada diariamente. O tempo e as circunstâncias, causam mossas e marcas que envelhecem a nossa vida cristã.

As grandes verdades da nossa fé e a nossa salvação, estão sujeitas a pressões exteriores no mundo maligno em que vivemos, que tendem a fazer-nos perder o brilho, o valor e a eficácia. Se não nos renovarmos espiritualmente, seremos crentes com uma vida cristã apagada, infrutífera e sujeitos a nos desviarmos do Senhor.

O mundo, com o seu sistema pecaminoso, exerce sobre nós uma pressão negativa forte e rouba-nos inevitavelmente a espiritualidade e a santidade, tão necessárias.

A nossa renovação espiritual é a reposição das nossas perdas em contacto com o mundo.

A necessidade de renovação espiritual

Rom. 12:1-2

«Rogo-vos pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos como um sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não vos conformeis a este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.»

A incredulidade reinante choca com a nossa fé e fá-la vacilar; as heresias passeiam pelas ruas e batem à nossa porta, para desafiar as nossas convicções bíblicas; a indiferença da maioria ridiculariza a nossa fé e fervor como sendo fanatismo religioso ou extremismo; a imoralidade ocupa páginas inteiras nos jornais e nas revistas, apresentando-se colorida e atractiva; na televisão, ela entra pelos nossos olhos e ouvidos sem darmos conta disso e deixa partículas impuras na nossa alma; a crueldade e corrupção desafiam o amor e vivência cristãos e procuram ridiculizar-nos.

Se nós não cuidarmos da nossa renovação espiritual em pouco tempo ficaremos sem nada ou quase nada.

Nós devemos ser o sal da terra e a luz do mundo. Mas se o sal não for renovado, desaparece; e a luz se não for alimentada, apaga-se. O crente que não cuidar da sua renovação espiritual fica velho espiritualmente, gasta-se e desaparece. O crente que se renova é sempre jovem, seja qual for a idade. A Bíblia fala de «velhos» viçosos e florescentes carregados de frutos. Sal. 92:12-14

O mundo está cheio de jovens velhos - envelhecidos pela droga, pelo álcool, pelo tabaco, pelos vícios. Mas também existem velhos que são jovens, viçosos e florescentes, carregados de frutos, porque se renovam. A nossa renovação espiritual é coisa séria e imprescindível!

A Bíblia diz que a Igreja é um jardim (Cant. 4:12,15,16). Cada um de nós, deve ser uma flor neste jardim. Será muito desagradável ser uma flor murcha, seca, envelhecida. O jardim precisa ser cuidado, renovado para manter as flores viçosas.

A renovação espiritual produz os frutos da nossa vida Cristã

Nós temos uma necessidade imperiosa de dar fruto. Jesus ensinou que quem não der fruto «…será lançado fora como a vara e secará; e os colhem e lançam no fogo, e ardem.» (Jo. 15:4-6)

Todos nós estamos preocupados com o nosso fruto para a glória de Deus e esforçamo-nos para dar fruto, mais fruto, muito fruto.

A Bíblia ensina que o fruto não provém do nosso esforço, mas provém de «…estar em Cristo…» Jo. 15:4-5.

A nossa renovação espiritual, «…estar em Cristo…», faz brotar espontaneamente os nossos frutos. Os frutos surgem nas árvores naturalmente, sem esforço, mas de acordo com o tratamento que lhes é feito.

É curioso que as flores e os frutos, surgem na parte nova da planta. O tronco velho também é importante, porque é ele que sustenta e alimenta a árvore. O tronco está ligado à raiz e por ele passa a seiva que alimenta a árvore e que faz com que ela aguente o temporal. Mas no tronco não há, naturalmente, nem flores nem frutos. As flores e os frutos surgem na parte nova da planta, na parte que cresceu.

Nós somo como árvores no jardim do Senhor, compostas por:

Raiz: Que representa a Palavra de Deus onde estamos firmados

Tronco: São as nossas convicções em Deus

Folhas e flores: São a nossa aparência externa, nossa fragrância e testemunho

Frutos: São as nossas obras para Deus

A raiz e o tronco são estáveis. As folhas, as flores e os frutos, estão em constante renovação.

Nós queremos dar fruto, precisamos dar fruto. Mas o fruto não surge porque nós desejamos ou porque nós queremos. O fruto não é produto do nosso esforço. O fruto surge naturalmente na parte nova da planta.

Jesus disse que ele é a videira e nós somos as varas. As varas velhas não dão uvas. Por isso a videira tem que ser podada. Os cachos vão surgir nas novas varas, na parte nova da planta.

Significa que precisamos crescer. O crente não deve estagnar. Alguém disse: «No dia que a árvore deixa de crescer, começa a morrer». Nós precisamos crescer, mesmo um pouco todos os dias e isso acontece com a renovação espiritual. A renovação espiritual repõe as perdas e cria um saldo positivo que representa o crescimento.

É nessa parte nova que vão surgir as flores e os frutos. Não nos preocupemos com o fruto – preocupemo-nos com a nossa renovação e o fruto virá automaticamente.

Como se processa a nossa renovação espiritual?

A nossa renovação não é algo teórico ou sentimental. Não é um curso religioso. Não se faz num ápice. Não é um alvo ou uma meta que se atinge definitivamente. A renovação espiritual é um processo com decisões e actos definidos. É uma tarefa contínua, diária, responsável!

Assim como as árvores não crescem com teorias ou emoções, mas crescem realmente com tratamento, com as condições favoráveis do solo e do clima, nós também nos renovamos, crescemos criando as condições com decisões e actos que praticamos.

Fisicamente, nós também crescemos ou mantemos o nosso corpo de acordo com as vitaminas que ingerimos e as condições que lhe proporcionamos. A nossa vida espiritual renova-se com decisões e actos concretos que promovem o seu crescimento diário.

Examinemos o que a Bíblia diz em Rom. 12:1-2:

«Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, [que é] o vosso culto racional.E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos (reformai-vos) pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual [seja] a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.»

Aqui temos decisões e actos concretos para a nossa renovação espiritual e crescimento:

«…que apresenteis…» Envolve uma decisão e um ato que implica colocarmo-nos no altar do Senhor em oração.

«…não vos conformeis…» Aqui está uma decisão, que significa uma reprovação, recusa e resistência aos padrões de vida do mundo.

«…mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento…» Isto significa enchermos a nossa mente com a Palavra de Deus.

«…para que experimenteis qual seja…» Aqui está o crescimento. É nesta parte nova da planta que vão surgir os frutos.

A matéria-prima para a nossa renovação espiritual é a oração e a Palavra de Deus.

Os nossos centros de renovação espiritual

Deus criou em nós dois centros de renovação: eles são a nossa mente (a sede do conhecimento) e o nosso coração (a sede dos afectos).

A mente e o coração são os dois laboratórios onde se produzem as decisões e actos da nossa vida.

O mundo está atingindo a nossa mente e o nosso coração, através dos nossos olhos e ouvidos, com o seu sistema de vida ateísta, imoral, perverso, pecaminoso.

Durante várias horas por dia, «…uma geração má e perversa…» está agredindo a nossa mente e coração, negando a nossa fé, desmotivando a nossa santificação, influenciando a nossa conduta negativamente.

Nos seus empregos, os crentes ficam expostos cerca de 10 horas por dia às influências negativas que os rodeiam. Entra para a sua menta e coração matéria má e perversa, apta para produzir maus pensamentos, más decisões e más acções.

O mundo sem Deus não tem nada para nos ensinar, nem para nos ajudar na nossa vida espiritual; só nos tira e prejudica.

A Bíblia diz que a nossa renovação espiritual deve processar-se todos os dias: «…o nosso interior, contudo, se renova de dia em dia.» (2 Cor. 4:16)

A nossa renovação espiritual precisa ser feita diariamente. Precisamos repor as perdas diárias e ainda ficar com algum saldo positivo. Porque esse é o nosso crescimento e é aí, nessa parte que cresceu, que se vão produzir as flores e os frutos.

É por isso que precisamos orar o suficiente todos os dias e ler e meditar na Palavra de Deus, o necessário todos os dias. É por isso que é tão importante vir à igreja, ao culto.

O crente que não cuida da sua renovação, de repor as perdas do dia, em vez de crescer, vai enfraquecendo e se as coisas não se alterarem, pode desviar-se do Senhor ou ficar um crente apagado, morno sem fervor.

Deus deu-nos a matéria-prima por excelência para a nossa mente e coração, para a nossa renovação espiritual:

  • Para a mente, a sede do conhecimento, Deus deu-nos a sua palavra. A Palavra de Deus transmite à nossa mente os factos acerca de Deus, que produzem segurança, fé e santidade.

  • Para o coração, a sede dos afectos, Deus deu-nos a oração. A oração transmite ao nosso coração os afectos de Deus, a comunhão com Deus; tornando-nos dóceis, amorosos e santos.

Se nós dermos à nossa mente a Palavra de Deus e ao nosso coração a oração, temos condições para tomar decisões certas e praticar boas acções.

Quanto mais enchermos a nossa mente da Palavra, e o nosso coração com a oração, menos espaço fica para a matéria má do mundo.

Tratemos diariamente da nossa renovação espiritual

2 Cor. 4:16

Há um apelo veemente do Senhor á nossa renovação: «…rogo-vos pois, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.»

O Apóstolo Paulo usa uma linguagem muito forte e persuasiva para que os crentes não descurem a sua renovação espiritual. Nós corremos enormes riscos se descuidarmos a nossa renovação espiritual: todos os crentes que são fracos na fé, é porque não se renovaram; todos os crentes que se desviaram do Senhor, foi também por isso; todos os crentes que caíram na tentação e pecaram contra o Senhor, foi porque não vigiaram e oraram o suficiente.

Não há pessoas fortes nesta peleja. Há apenas gente preparada, gente que paga o preço, gente que se renova e não se descuida.

Somos nós que fornecemos à nossa mente e ao nosso coração a matéria-prima com que decidimos e agimos.

A Bíblia diz: «…a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do espírito é vida e paz». Se eu me inclinar para o mundo vou tornar-me um crente mundano e perco a graça do Senhor. Se eu me inclinar para as coisas de Deus vou tornar-me um crente espiritual e viver cheio do Espírito Santo.

Somos nós que determinamos diariamente que crentes queremos ser. Se estamos expostos várias horas às influências mundanas, se passamos horas diante da televisão, se não seleccionamos as nossas leituras, precisamos rever o tempo que passamos com a Palavra de Deus e em oração.

É importantíssimo vir à Igreja nos dias de culto, mas precisaremos ainda orar e estudar a palavra de Deus em nossa casa todos os dias. Precisamos separar tempo diariamente para a oração e para a Palavra de Deus. Precisamos repor as perdas que tivemos para não ficarmos pobres.

A vida do crente fiel é muito exigente, responsável e disciplinada. Ser um crente só de aparência é fácil. Ser um crente morno é fácil. Ser um crente estagnado é fácil. Mas não existem garantias para estes crentes chegarem ao Céu. A Bíblia diz: «…pela força se apoderam dele.» No Céu entram os vencedores, os fiéis até à morte.

«Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, [que é] o vosso culto racional. E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos (reformai-vos) pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual [seja] a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.» (Rom. 12:1)

Isto é sério demais para não prestarmos atenção!

Precisamos utilizar bem os recursos que Deus nos deu

Deus não nos quer influenciados pelo mundo. A Bíblia diz:

«…Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus.» (Tgo. 4:4)

«Não ameis ao mundo, nem as coisas que há no mundo. Se algum ama ao mundo, o amor do pai não está nele.» (1 Jo. 2:15)

A nossa linha de separação do mundo tem que estar bem definida. Há perigo mortal em passar o risco contínuo.

Deus deu-nos os recursos para sermos fiéis e crescermos espiritualmente. Os principais são: a Sua Palavra, a oração e a comunhão na Igreja. Está escrito: «…pela Palavra de Deus e pela oração são santificados».

A nossa mente é como uma esponja que absorve tudo o que encontra à sua volta. O nosso coração é como uma máquina de filmar que regista todas as cenas que encontra no caminho. A matéria e as cenas colhidas do mundo, não servem para construir a nossa vida cristã, são contrárias à vida cristã.

Deus deu-nos a sua Palavra e a oração para construirmos a nossa vida cristâ.

Chegou o tempo, em que cada crente precisa ser um homem ou uma mulher de oração, ou poderá ficar fora da vinda do Senhor.

A verdade é que, quanto mais dermos da palavra de Deus e oração à nossa mente, menos espaço dispomos para a matéria mundana. Vamos dar à Palavra de Deus e à oração o lugar que merecem e o tempo que nós precisamos para sermos fiéis e santos.

Se for necessário, façamos um novo calendário para a nossa vida. Estabeleçamos prioridades sérias. Criemos novos hábitos. Inclinemo-nos para as coisas do Espírito.

O Profeta Isaías escreveu: «Tu conservarás em paz [aquele cuja] mente [está] firme [em ti]; porque ele confia em ti.» (Isa 26:3)

Precisamos encher a nossa mente com a Palavra de Deus. Ler muito e meditar. Decorar textos e citálos durante o dia. Isso resultará em fé, segurança e santidade. Toda a matéria duvidosa será recusada.

Precisamos encher o nosso coração com muita oração. Durante a oração o nosso foco está em Deus nosso Pai, está no nosso Salvador e está no Espírito Santo. É por isso que a oração santifica e renova.

Usemos bem os recursos que Deus nos deu para a nossa renovação espiritual!

Publicado em 2017-05-26

Para Trás

Para Trás